×

Igreja do Rosário e a Irmandade dos Pretos, barroca, 1685

A Igreja da Venerável Ordem Terceira do Rosário de Nossa Senhora às Portas do Carmo, mais conhecida como Igreja do Rosário dos Pretos, foi fundada em 1685, por uma das primeiras irmandades dos homens pretos do Brasil.

Image description
Clique aqui e visite o local virtualmente
Igreja do Rosário e a Irmandade dos Pretos, barroca, 1685...

Descricao A Igreja da Venerável Ordem Terceira do Rosário de Nossa Senhora às Portas do Carmo, mais conhecida como Igreja do Rosário dos Pretos, foi fundada em 1685, por uma das primeiras irmandades dos homens pretos do Brasil. A Irmandade foi elevada à categoria de ordem terceira em dois de julho de 1899.

Fica no Largo do Pelourinho, na antiga rua das Portas do Carmo.

No Brasil colônia, os negros escravos e alforriados (forros) eram particularmente devotos de Nossa Senhora do Rosário, São Benedito, Santa Efigênia, Santo Elesbão e alguns outros santos.[1] De acordo com frei Agostinho de Santa Maria, desde os inícios do século XVII os escravos e forros veneravam Nossa Senhora do Rosário num altar da Sé da Bahia, em Salvador.[1] Como outros grupos da colônia, também os negros se organizavam em agrupações religiosas de ajuda mútua, as chamadas irmandades ou confrarias. Na segunda metade do século XVIII, quase todas as freguesias de Salvador possuíam alguma irmandade de negros.[1]

A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário de Salvador foi formalmente constituída em 1685, sendo antecedida somente pelas de Olinda (meados do século XVI), Rio de Janeiro (meados do século XVII), Recife (1654) e Belém do Pará (1682).[2][1] As irmandades de negros começavam reunindo-se nos altares laterais de igrejas matrizes ou conventuais, mas em 1704 a do Rosário reuniu o dinheiro necessário e recebeu a permissão do arcebispo D. Sebastião Monteiro de Vide para a construção de uma igreja própria nas Portas do Carmo.[3][4] O nome se refere à existência na zona de uma das portas da cidade fortificada, por onde saía o caminho (atualmente a ladeira do Pelourinho) até o Convento do Carmo. Na zona também estava localizado o Quartel do Carmo, onde se alojavam os soldados que defendiam essa entrada da cidade.[3]

Acesse a galeria de vídeos deste ponto
Selecionamos uma galeria com vídeos importantes referente a esse ponto. Clique aqui e veja os vídeos

Galeria de Vídeos

Galeria de fotos

Veja o resultado da nossa pesquisa e mais informações sobre os instrumentos da exposição

Escolha um dos

Módulos Temáticos

O projeto

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal

Apoio

2021 © Todos os direitos reservados.